Um projeto de um sistema integrado de conteúdo  sobre o coletor menstrual, utilizando um site para centralizar as informações, com pontos de contato nas redes sociais e em intervenções urbanas.

Designers: Bernardo Quental • Cecilia Quental • Giovana Malka • Juliana Cruz • Yasmin Albanêz

introdução

Colete.se é um projeto de comunicação híbrido para mulheres jovens (19-24 anos) que estão buscam alternativas de produtos mais sustentáveis que os absorventes e OBs convencionais. O projeto engloba uma plataforma online, com 2 vínculos externos: o Instagram e intervenções em espaços públicos. A usuária percebe a comunicação sobre menstruação na rua, com o uso de menções e hashtags, atravessa as redes sociais até ser redirecionada ao site.

O projeto foi realizado em 4 meses, com uma pesquisa extensa que contextualiza a temática da menstruação e os impactos sociais, explora o contexto histórico e contemporâneo, e os diferentes tipos de produtos de menstruação. Com uma equipe de 5 designers de áreas diferentes trabalhando em sintonia, percebemos uma dispersão e carência de informações relacionadas ao coletor menstrual, portanto idealizamos e concebemos a Colete.se.

 

a marca

A construção da identidade visual da Colete-se, o nome que escolhemos para esse projeto, foi baseada na diversidade

de dobras, modelos e tamanhos que um coletor pode apresentar. Pensando que nosso principal objetivo é informar através da troca de conhecimento e experiências,

a transparência sugere a sobreposição

de relatos para a construção de uma informação mais concisa.

A escolha por criar esses desdobramentos para a marca está diretamente ligada às dobras que a usuária do coletor faz para inserir o objeto em seu corpo. Ora em outline, ora preenchida, o símbolo
faz, também, uma referência ao
coletor cheio e vazio.

 

linguagem gráfica

O projeto tem uma estética minimalista, com cores saturadas aplicadas em fundos e nos detalhes.

Optamos por imagens interativas, como GIFs e linguagens textuais leves, e recursos visuais que geram identificação, como a purpurina e o batom vermelho. O uso de mãos e bocas (como protagonista nas imagens e gifs que produzimos) humaniza o projeto de uma forma sutil, sendo poderia ser qualquer pessoa (como não se vê o rosto), por que não a própria usuária?

Paleta de cor

Gifs produzidos para o projeto.

 

instagram

O Instagram é uma ótima plataforma

para interação e comunicação íntima, e pretendemos utilizar isso a nosso favor. Através de uma linguagem jovem e

“zoeira” atingimos nosso principal

público: jovens de 19 a 24 anos.

Para aproveitar a interatividade que

essa rede social possibilita, criamos hashtags vinculadas às intervenções urbanas, e destaques que estimulam nossas seguidoras a mencionarem

nosso Instagram no seu próprio perfil,

no entanto gerando a divulgação

do nosso perfil de maneira orgânica (instantânea e gratuita). Essa estratégia facilita nosso alcance e gera conteúdo

de maneira fluída, se autossustentável.

O perfil do Instagram do projeto (@colete.se)

 
 

intervenção urbana

Para o projeto ganhar maior visibilidade além das redes sociais, optamos pela ideia de utilizar a linguagem gráfica do estêncil. Essa intervenção urbana atinge pessoas além da nossa faixa etária e que são não tão ativas em redes sociais, além de instigar a reflexão em pessoas que não menstruam. O grande diferencial dessa abordagem é o despertar da curiosidade sobre o projeto e a possibilidade de uma divulgação em cadeia.
 

O estêncil poderá ser utilizado com tintas naturais para não prejudicar o meio ambiente e ser fácil de ser removido, caso necessário, além de ser de baixo custo e facilmente reproduzido. Optamos por disponibilizar os arquivos dos estênceis no site, para incentivar o público a tomar iniciativa e contribuir na divulgação por conta própria.

Aplicações dos estênceis

site

O site disponibiliza diversos conteúdos que facilitam a busca por informações e auxilia a usuária no passo a passo para a compra e utilização de um coletor menstrual. Além disso, ele se estende para assuntos correlacionados, como outras alternativas divergentes dos absorventes descartáveis que encontramos nas farmácias.

O site foi desenvolvido em HTML, CSS, JavaScript e PHO, utilizando a biblioteca JQuery e o framework Bootstrap. Utilizaria

o domínio https://colete.se, sendo igual ao Instagram, o que facilita a usuária de se lembrar na hora de pesquisar ou na hora

de indicar às amigas.

Protótipo do site da Colete.se

 

conclusão

Esse projeto abordou uma questão de saúde pública feminina de uma forma

leve e descontraída. A característica interdisciplinar do design se destacou

no processo, junto com as capacidades individuais de cada designer. Foi um aprendizado obtido sobre uma temática pouco contemplada no cotidiano que permaneceu nas experiências vividas.

 

quer saber mais sobre o processo?

Você pode baixar o relatório aqui.